terça-feira, 15 de setembro de 2015

[Resenha] Minha Metade Silenciosa - Andrew Smith - Gutenberg - 2014

Resenha abaixo não contem spoilers.

Título Original: Stick
Páginas: 304
Informações do Livro: Skoob - GoodReads
Onde Comprar: Compare e Compre - Saraiva - Amazon - Submarino
Outras Resenhas do Autor: A Cura Invisível / A Lente de Marbury

"As coisas não mudam quem você é. E as coisas não apenas acontecem". Bullying, deficiências, companheirismos, amadurecimentos, pintos duros demais, drama familiar. O Crescer pessoal de cada um dos personagens, o que constroem cada ser? O que uma determinada educação faz com cada pessoa? Andrew Smith soube fazer isso de maneira primorosa nesse, que acredito todos deveriam ler! Vem comigo nessa resenha de Minha Metade Silenciosa para entender um pouco mais!

Stark McClellan, é um menino de 13 para 14 anos (a história se passa na mudança de idade) onde por ser muito alto tem como apelido Palito e nasceu sem a orelha do lado direito. Tem como irmão Bosten que o defende de toda e qualquer pessoa que meche com o irmão por causa da 'deformidade'. Em um ambiente familiar completamente perturbado onde seus pais violentam os filhos quase todos os dias e vivem dessa forma sem afeto. Em determinada briga entre Bosten e o Pai, se desentendem, fazendo assim Bosten Fugir, e como o laço dos irmãos é muito forte, Palito resolve também fugir para se encontrar com irmão mais velho, mostrando em determinadas situações que o mundo não é cor de rosa como ele pensa.

Uma obra que beira a uma beleza de detalhes de características das situações, de personagens, de locais, dos sentimentos e de tudo que rodeia na situação que se passa o Palito, vemos que Andrew Smith acertou em cheio nesse livro quando se trata de problemas familiares, sexualidade, e sociedade.

Me lembra um pouco a história de Extraordinário, mas esse livro é outro nível... È mais realista no quesito de família quando não aceita seu próprio filho, quando não aceita a vida que tem ou tem uma educação que para nós é completamente ultrapassada além de errônea. Mas como falei em outra resenha de Os Dois Mundos de Astrid Jones e de Turma da Monica Lições que na educação dos pais não podemos nos meter, pois é uma coisa daquela família em particular.

Vemos Palito um personagem tão sem personalidade no início do livro, que dá vontade de pegar ele e dar uns tapas para ver se acorda para vida, mas vemos que a vida mesmo que faz isso por ele... vai amadurecendo aos poucos e com os tombos chegando no final um rapaz que você não acreditava que seria a mesma pessoa do início. A vida é dessa forma? Muitas vezes não, Andrew nos mostra que temos opções para isso, cabe a nós acharmos essa oportunidade e conseguir melhorar aquilo que temos para mostrar.

A editora fez uma PERFEITA diagramação desse livro, pois ao mesmo tempo que o Palito não escuta de um lado... vamos entendendo                                    que da mesma forma que ele ouve,                               nos lemos o escrito de como seria                                 se tivéssemos a mesma
deficiência que ele tem.
E isso não é de nenhuma maneira exagerado, você até gosta que o autor brinque dessa forma, pois você entra mais ainda na história e quando percebe, está na pele de Palito. 

O Livro já começa numa tensão que você sente o que o personagem está passando, e ao longo do livro isso aos poucos vai se suavizando chegando no final, você flutua. O Livro termina quando tem que terminar  e não com 'enchechões' de linguiça demais, o que resulta, que se você pensa que tem gente que vai terminar junto... espere por outra coisa! O Livro é realista e não ficcional! 


P.S. 1 : Se por acaso você vier a achar o livro somente com uma 'Orelha' (aquela parte do livro que normalmente vem descrição do autor e sinopse), não se assuste, isso é o 'normal' do livro. E DEIXE DE SER PERFECCIONISTA!
P.S. 2: Dahlia = S2.

"Ele aprisionou meu coração dentro da minha cabeça. Tudo estava Mudado. Tudo, menos aquele metade silenciosa da minha cabeça."

Obs.: Prefiro não notificar o livro, pois eu não tenho a capacidade de enumerar de 0 a 10 o quão ele pode ser ruim ou não. Prefiro deixar você descobrir. E se por ventura houver erro de português, não deixa de me avisar, sou humano e vou errar! (Essa observação irá em todas as resenhas)
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.