segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

O Muro - Céline Fraipont, Pierre Bailly - Nemo - 2015

Resenha abaixo não contem spoilers.
(Leiam os 'P.S.' São importantes)

Skoob - Compare e Compre - Loja Recomendada


Drama adolescente, pais ausentes, vícios, musicas, amizade, primeiras paixões, a vida em sociedade frente a isso, um rapaz, uma amiga, preconceitos, solidão e um muro. Tudo isso em uma Graphic Novel que vai ficar ficar pensar o que estaremos deixando para nossas crianças, se não um mundo cheio delas sem rumo e nem destino? Numa mistura belíssima de críticas sociais e uma bela reflexão, me acompanha nessa para entender melhor.

Sinopse: O Muro é uma história poética, forte e pungente, desfiada por um desenho frio como o toque de um bisturi, que arrasta o leitor pelos caminhos obscuros de uma adolescência problemática ao som do punk rock. Estamos em 1988. Numa monótona cidadezinha do interior belga, Rosie, uma menina de 13 anos, se vê entregue à própria sorte: sua mãe fugiu com outro homem numa aventura amorosa, e seu pai vive mergulhado no trabalho. Roída por uma rotina morna e vazia, Rosie fica completamente desorientada. Assiste, impotente, à transformação de sua personalidade, ora apavorada, ora determinada, diante da melancolia que a invade e traça os contornos de sua nova vida.

P.S.: Vou ser sincero! Não conheço o cenário de HQ tanto nacional  como estrangeiro (produtores, roteiristas, desenhistas, editores...) pois comecei a leitura realmente (ler como um conhecimento e não somente diversão) esse ano, ENTÃO me perdoa se eu deixar de falar dos envolvidos diretos e indiretos nas HQ(s) que eu resenhar aqui. 

Rosie uma menina, que mesmo sem saber está em meio a problemas sociais recorrentes, e que é tão pouco falado que torna-se uma coisa de pouquíssima importância, porém de alto reflexo na sociedade o torna as coisas piores ainda, pois vira estatística, e para isso nem olhamos duas vezes.

O reflexo uma criança 'abandonada', que é quase o caso da Rosie na história, para um futuro não somente de uma sociedade, mas de um mundo inteiro, já que vemos esses mesmos comportamentos em todos os lugares do globo, seja em países de primeiro mundo, sejam num pais subdesenvolvido. Tudo isso impacta no comportamento dessa criança, qual seja ela.

Essa GN (Graphic Novel) ou HQ, como queira chamar, mostra isso claramente o que na sua grande maioria das vezes acontece numa situação dessa, onde uma criança entra num mundo, na qual nem os adultos deveriam estar nele, vícios, drogas, depressão, violência e até a auto destruição, seja ela de forma direta ou não.

Venhamos e convenhamos, essa história não somente retrata a realidade, como nos faz pensar o que estamos deixando passar, o que deixamos de não cuidar, o que estamos transformando esse mundo para nossos filhos, o que eles faram com essa sociedade seja nessa geração, na próxima ou em centenas. Cada época é uma época, cada pessoa é uma pessoa, mas em sociedade cada coisa conta, por isso se chama sociedade.

Uma daquelas obras que todos devem ler, independente de qualquer coisa. Recomendo a ler ele pelo menos 1 vez ao ano, para lembramos que não estamos sozinhos e quando deixamos nossas crianças sozinhas a sociedade tratará de forma que ninguém gosta. #pensenisso

Deixo uma frase de um autor desconhecido: "Em vez de deixamos um mundo melhor para nossos filhos, porque não deixa nossos filhos melhores para o mundo?"


Obs.: Prefiro não notificar o livro, pois eu não tenho a capacidade de enumerar de 0 a 10 o quão ele pode ser ruim ou não. Prefiro deixar você descobrir. E se por ventura houver erro de português, não deixa de me avisar, sou humano e vou errar! (Essa observação irá em todas as resenhas)
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.