quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Eleanor & Park - Rainbow Rowell - Novo Século - 2013

Resenha abaixo CONTEM pequenos spoilers.

Skoob - Compare e Compre - Loja Recomenda



Antes de mais nada, pense bem sobre os livros de romance que você já leu.

Pensou? Então podemos classificar esse livro fantástico que vamos resenhar.

Quando não conheço nada sobre o autor eu comento logo de cara sobre isso, pois começo a ler o livro com as expectativas bem baixas. E depois comento o quanto o autor me surpreendeu, e não posso fazer diferente sobre a Rainbow Rowell.

A minha amiga do blog http://www.coisasdemeninas.blog.br/ me indicou esse livro e falou, você vai se apaixonar por esse casal. Não levei muita fé e me dei de mal.

Vamos la...

O leitor ao começar esse livro precisa entender algo: Esse não é mais uma historia de amor normal. Os personagens não são normais. Tanto Eleanor quanto Park são excêntricos. E essa excentricidade deu todo tempero do livro. É engraçado o quanto nos encantamos pelos dois.

Eleanor se acha, gorda feia e desajustada, sem amigos e muito ruiva (tipo a Valente). Ela é o oposto de qualquer garota normal, não que isso seja ruim, mas na situação em que ela vive é um meio de proteção, para proteger a si mesma. A família de Eleanor não é das melhores pois, ela tem uma mãe fraca, que não a entendi, irmãos que não sabem de que lado ficar e por isso ela sempre se viu na situação de protege-los. E um padrasto medíocre, ele é capaz de despertar sentimentos homicidas (pelo menos eu tive vontade matar ele a cada capitulo que era citado). 

Park é descendente de coreanos e puxou totalmente as características de sua descendência. Park é um garoto de 16 anos que fica na sua no caminho de casa até a escola no ônibus escolar, lendo seus gibis de X-men e Watchmen, juntamente com seu fone de ouvido tocando musicas boas, realmente muito boas: The Cure, Smiths e outros. Sua família é o oposto da Eleanor. Apesar de ter boa convivência com todos ele se sente que não pertence a lugar nenhum (até certo ponto).

Quando ele vê Eleanor pela primeira vez, ele fica irritado por uma garota ser tão desajustada quanto ela, e logo vê que ela vai virar alvo de chacota de seus colegas. Eles passam a se sentar um do lado do outro no caminho da escola mas não trocam uma palavra. Até o dia que Park percebe que ela esta lendo um de seus Gibis favoritos e passam a desenvolver uma 'amizade silenciosa'. Toda vez que Eleanor entra no ônibus ela encontra alguns gibis no seu banco, ela pega e guarda e os devolve no dia seguinte. Essa pequena interação dos dois acaba desenvolvendo um sentimento, pois ambos ficam ansiosos pelo próximo passo. E são os gibis, as musicas e os pequenos toques que dão toda diferença no decorrer do livro. 



Park, começa a gostar de Eleanor, porém sente-se um pouco vergonhoso, pois tem medo de virar motivo de chacota que nem ela (Isso me deu um pouco de raiva, mais foi super passageiro). Com o decorrer da amizade estranha deles, Park percebe que Eleanor é uma pessoa linda (é por isso que a enxergamos de um modo diferente, depois dele perceber como ela é de verdade). Linda por dentro e por fora, pois todos seus desajustes são seu motivo de defesa e com passar da historia ele vai desmontando cada barreira no relacionamento deles.

É lindo o tamanho da sinceridade dos sentimentos dos dois. Principalmente quando são revelados. Park é um cara maravilhoso, Eleanor, não tem duvidas disso e o sentimento de necessidade um do outro vai crescendo a cada dia. 

Esse livro não fala só de amor, ele aborda assuntos como; preconceito racial de algumas formas, bullying, assedio sexual e moral.  

Até agora eu queria entender o papel da mãe de Eleanor, esse personagem me deu mais raiva do que o próprio padrasto pois, como é que ela permitia toda aquela situação? Fiquei totalmente indignada por isso. Mas tudo bem, se não fosse essas tramas o livro não iria ser tão bom.



O amor de Park e Eleanor, é bonito, sincero, altamente genuíno. 

Não gosto de você, Park. Eu acho que vivo por você. Acho que nem respiro quando não estamos juntos. (...). Só o que faço quando estamos separados é pensar em você, e só o que faço quando estamos juntos é entrar em pânico. Porque cada segundo parece ser tão importante. E porque sou tão maluca, não me controle. Não sou mais minha, sou sua; e se você resolver que não quer mais me ver? Como pode me querer como eu quero você?

A cada capitulo lido era um sorriso bobo no meu rosto até chegar o momento de cair lagrimas. Isso mesmo eu chorei. Simplesmente adorei cada parte sendo intercalada entre Park e Eleanor, que nos permite ver e sentir os sentimentos de ambos.



É claro que eu deseja um final diferente, mais como o livro foi o mais real possível eu não poderia deixar de gostar do jeito que ele terminou (mas sempre fica aquele sentimento do por que não poderia ser diferente pra eles dois, por que não deu certo, na verdade deu muito certo até certo ponto, e eu queria um segundo livro só pra mudar o sentimento avassalador que ficou no meu peito ao final de Eleanor & Park).


Com certeza, depois desse livro a Rainbow entrou no meu TOP queridinhas, e o livro pro meu TOP favoritos.


Obrigada Rainbow Rowell, por me fazer rir, amar e chorar ao mesmo tempo. Muito obrigada


Até a próxima ;)

Resenha feita por: Juliana Santos


Obs.: Prefiro não notificar o livro, pois eu não tenho a capacidade de enumerar de 0 a 10 o quão ele pode ser ruim ou não. Prefiro deixar você descobrir. E se por ventura houver erro de português, não deixa de me avisar, sou humano e vou errar! (Essa observação irá em todas as resenhas)

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.