segunda-feira, 18 de abril de 2016

[Resenha] Entre a Ruína e a Paixão - Sarah MacLean - Clube dos Canalhas- Livro 3 - Gutenberg - 2016

Resenha abaixo contem pequenos spoilers do livro.




Título Original: No Good Duke Goes Unpunished (The Rules of Scoundrels #3)
Páginas: 304
Informações do Livro: Skoob - GoodReads
Onde Comprar: Compare e Compre - Saraiva - Amazon - Submarino
Leia Amostra Grátis: Amazon
Outras Resenhas: Entre o Amor e a Vingança - Entre a Culpa e o Desejo - Nunca Julgue Uma Dama Pela Aparência

Olá pessoas, chegou a hora do nosso Clube dos Canalhas favorito.

Vamos la...

Ai gente, vocês não sabem o quanto que eu esperei pela sequencia do Clube dos Canalhas. Cada dia estou ficando mais apaixonada por romances de época. E a cada livro da serie a gente percebe o desenvolvimento da Sara MacLean nos seus personagens e até mesmo no cenário do tão falado Anjo Caído (o lendário cassino de Londres). 

O livro é bem desenvolvido, a história foi incrivelmente amarrada e a história do Duque Assassino, Temple que só víamos falar nos outro livros  Entre o amor e a vingança e Entre a culpa e o desejo. Basicamente todos evitavam Temple por causa do assassinato que havia cometido a 12 anos (é claro que ele era inocente, mas já estava cansado de provar sua Inocência, já que o corpo da vitima não tinha sido encontrado). Nesse livro conhecemos a história de Temple, um dos sócios do cassino mais renomado do submundo de Londres, além de ser um duque (que é renegado). Antes de ser nomeado duque por direito ele vê tudo ir pelos ares da noite pro dia. Depois disso ele nunca mais foi o mesmo, principalmente quando a sociedade passou a chamá-lo de “o duque assassino”. 

Portanto, ao invés de uma vida fácil e bela, Temple acabou escondido no submundo de Londres, onde se tornou rico e poderoso – só não o suficiente para afastar os olhares de medo dos nobres que tinham certeza que Temple possuía sangue em suas mãos. Até o próprio Temple acreditava que era um assassino, pelo menos até seu passado bater em sua porta. 

Mara era uma adolescente forte que queria mas da vida, ao invés de viver junto com um velho, qual ela estava prometida pra se casar. Então ela bolou o plano que mudou a sua vida e a de muitos a sua volta inclusive a de Temple. Doze anos se passaram e ela construiu a vida que sempre quis, tornando-se mais do que a mulher de alguém, porém, quando seu irmão perde a fortuna da família, ela fica sem saída a não ser voltar para a sociedade e pedir ajuda a Temple, o único que pode perdoar a dívida do seu irmão e, como o destino não é bobo e nem nada junta Mara com o homem cuja vida ela havia arruinado.

"Ela não havia ido atras dele pelo homem que ele era. Ela havia ido atras dele como se ele fosse um meio para um fim. Assim como todas faziam..."


Confesso que ri bastante com alguns diálogos de Temple e Mara. Temple é um personagem incrível. Mas o que me surpreendeu de verdade é como ele lida com as dificuldades da vida. Depois de ser classificado como assassino, Temple decidiu por ele mesmo que não merecia o título de ducado. Ele mesmo não acreditava ser digno dos benefícios que ele tinha outrora, afinal tinha matado uma mulher, e o pior de tudo é que ele não se lembrava de nada relacionado aquela noite. 

Dos dois livros anteriores que temos a Penélope e a Pippa como mocinhas, nesse livro vemos Mara, ela é simplesmente maravilhosa. Naquela época existiam poucas mulheres que abandonariam sua segurança financeira e sua posição na sociedade para correrem atrás do que acreditam. Mas ela não só deixou tudo para trás, como também virou uma mulher diferente: uma mulher que trabalha, que luta por seu sustento e pela sobrevivência do seu negócio, um abrigo para jovens bastardos, filhos de homens poderosos de toda Londres. 

O que mais gostei na personagem é que ela faz várias escolhas erradas, mas ainda assim não deixa de lutar. Mara poderia ter casado e vivido uma vida boa, mas ela queria mais, e não se importou nenhum pouco em abandonar a vida que levava antes. Isso é, até o irmão colocar seu orfanato em risco e, mesmo que ela custe a admitir, seus pecados ficarem pesados demais para carregar. 

Eu simplesmente adoro quando as mocinhas são  fortes, decididas, independentes. Essas mulheres fortes e decididas precisam lutar para ser quem realmente querem ser. E com certeza Mara possui tudo isso. É impossível não amar o romance. Existe um toque de redenção que une Temple e Mara. Os dois erraram e os dois precisam de perdão. E isso me emocionou bastante, fazendo com que eu os entendesse e torcesse enlouquecidamente por um final feliz. 

Fora que adorei como o relacionamento entre eles começa, Temple querendo fazer Mara sofrer como ele sofreu em doze anos, mas acaba evoluindo para muito mais que isso. 

Vale super a pena ler esse a saga do Clube dos Canalhas, cada livro é diferente e todas as histórias se entrelaçam. Em breve postarei sobre o quarto e ultimo livro que é sobre a história do todo poderoso Chase. Ah como estou ansiosa agora pra terminar esse livro

Até a próxima... ;)


Resenha feita por: Juliana Santos


Obs.: Prefiro não notificar o livro, pois eu não tenho a capacidade de enumerar de 0 a 10 o quão ele pode ser ruim ou não. Prefiro deixar você descobrir. E se por ventura houver erro de português, não deixa de me avisar, sou humano e vou errar! (Essa observação irá em todas as resenhas)

Leia Amostra Grátis:

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.