segunda-feira, 1 de agosto de 2016

[Resenha] Stranger Things (Stranger Things, Netflix, Season 01 - 2016 - )

Stranger Things (Stranger Things, Netflix, Season 01 - 2016 - )
Resenha abaixo não contem spoilers.

Sumida sim, não nego minha dívida eterna, mas muitas coisas acontecendo, e o mergulho no mundo de Person of Interest, série mais antiga, com muitas temporadas e episódios que eu não dei a devida atenção e agora o pago o preço de ter sido sugada, sem conseguir parar de assistir, já nem sei mais o que ler um livro ou ver um filme. Maaaaas como tudo na vida tem sua exceção, passeando pelo Netflix me deparo com uma chamada interessante: Stranger Things, bem a minha cara, ficção, monstro, conspiração, dei uma chance... Pra quê??



Simplesmente não consegui parar e em dois míseros dias assisti todos os 8 episódios, enchendo o saco daquela boa e velha alma sebosa, que deve ter até me silenciado no whatsapp, ooops! Confesso que no começo fiquei apreensiva com receio da série se perder e se tornar um LOST da vida, mas Stranger Things é corajosa e resolve tudo “redondinha” sem medo de ser tosca! AMEI, na verdade foi paixão aos primeiros 10 min... :D


Sabe aquelas capsulas do tempo, que guardamos algo e depois de anos retiramos para ser a vida seguiu o plano?? Pois bem, Stranger Things é assim, parece que foi gravada nos 80, perdida e recuperada agora. O clima, os personagens, a história, AS REFERÊNCIAS e HOMENAGENS. Juro que no começo achei estar vendo uma criação de Spielberg, mas não tem nenhum dedinho dele na história, pasmem!!



Stranger Things se passa numa cidade dos EUA, em meado dos anos 80, onde temos um grupo de quatro crianças, muito amigos, logo no inicio jogando Dugeon&Dragons, quando na volta para casa um deles some, evapora bem as vistas do telespectador. Em paralelo temos um laboratório que faz pesquisas com a mente humana de onde foge uma menina chamada “Eleven”, que se junta ao grupo de crianças na caçada a Will, o menino desaparecido. Junto a isso temos também a caçada a “Eleven”, pelos homens maus do laboratório. Para completar a série temos o triângulo amoroso adolescente entre a o atleta, a menina certinha e o esquisitão.



Com um clima fantasioso e sobrenatural, com mundos paralelos e muitas esquisitices, Strange Things te prende desde o primeiro episódio e não esconde nada, temos monstro sim, temos doidices sim, temos tosquices sim, e é tudo mostrado de uma maneira tensa, com alguns sustos dignos de pulinhos na cadeira. Mas o melhor de tudo é o cuidado com a ambientação, os figurinos, a linguagem, tudo, remete aos anos 80, quer melhor que a atriz Winona Rider no papel principal?? Grata surpresa é a mocinha Millie Bobby Brown, que faz a “Eleven”, que eu já conhecia de Intruders (outra série de ficção), e demonstra ter um grande potencial.



Stranger Things tem final, é toda lindinha, fechando a história, deixando apenas um pequeno gancho para uma eventual segunda temporada! Mentira, enganei vocês, eventual nada, segunda temporada confirmadíssima, infelizmente sem data, mas confirmada. Estão esperando o que?? Eu parei Person of Interest e o maravilhoso Jim Caviezel, logo, parem tudo que estão vendo para conferir Stranger Things porque é simplesmente FANTASTICA de SENSACIONAL. São 8 episódios de mais ou menos 50 min cada, mas que parecem 20min de tão rápido que acaba. Só assistam. Não existe arrependimento aqui!! Netflix, sua linda, avance 5 casas e jogue outra vez!!!! *-*



Resenha feita por: Amanda Oliveira

Obs.: Prefiro não notificar o livro, pois eu não tenho a capacidade de enumerar de 0 a 10 o quão ele pode ser ruim ou não. Prefiro deixar você descobrir. E se por ventura houver erro de português, não deixa de me avisar, sou humano e vou errar! (Essa observação irá em todas as resenhas)
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.