sexta-feira, 9 de setembro de 2016

[Resenha] CÃES DE GUERRA (War Dogs, EUA, 2016)


CÃES DE GUERRA (War Dogs, EUA, 2016)
IMDB - Rotten Tomatoes - Adoro Cinema - Omelete - Trailer

Trailer visto. Vontade de assistir instalada. Agora é esperar a estreia. Ansiosa? Sim, sempre. Droga de dia 8 de setembro que não chega nunca. Eis que o universo lindamente conspira e vai ter pré-estréia, iupiiiiiiiiiiiiii. Vamos?? Claro que vamos. Mas é segunda... E daí?? E lá tem dia de ir ao cinema??? Ai ai, cinéfilo que é cinéfilo vai qualquer dia, qualquer horário.



Cães de Guerra parece ser um filme de comédia besta, mas é bem na contramão disso, se tratando de um bom filme de ação, baseado numa história real muito surreal que é extremamente bem contado, de forma criativa, dinâmica, narrado por um dos personagens principais. Uma boa crítica de como funciona o, extremamente lucrativo, mercado de armas americano e suas licitações milionárias. Cães de Guerra tem uma pegada meio Lobo de Wall Street, mas com um toque mais sério e um tanto quanto tenso, porque estamos falando de guerras e armas e muita, muita munição.



David Packouz (Miles Teller) leva uma vida bem mais ou menos como massagista, quando tem a brilhante ideia de gastar toda sua poupança investindo em lençóis para asilos, porém descobre que na verdade ninguém liga para os idosos e seus lençóis de 400 fios ficam ganhando poeira no seu apartamento e seu investimento é completamente perdido. Sem nenhuma expectativa e com a namorada grávida, David reencontra seu melhor amigo de infância Efraim Diveroli (Jonah Hill), que aparentemente se deu bem na vida. 


Aos poucos Efraim envolve David na sua teia de esquemas, com muitas drogas e pequenos negócios em licitações com o governo Americano, afinal, o dinheiro é feito nas entrelinhas, em negociações que as grandes corporações deixam de lado. Com uma mudança radical de vida, surge a oportunidade de um mega contrato, mais de 300 milhões de dólares, muitas armas, e 100 milhões de cartuchos de AK’s 47. Com um preço atrativo David e Efraim, agora sócios na empresa AEY, conseguem o contrato e agora é providenciar tudo que eles prometeram, se juntando com o mega traficante e talvez terrorista Henry Girard (Bradley Cooper).

Cães de Guerra aparentemente foi vendido como comédia, mas está mais para uma “dramédia” de ação, que mostra até onde se vai pôr dinheiro e como nos tornamos reféns da própria ganância. Efraim é o retrato do “trambiqueiro” que aprendeu como ganhar dinheiro fácil, não se importando com as consequências ou como estão as pessoas ao seu redor, sendo o típico malandro. David é o amigo influenciável, porém com resquícios de consciência e preocupação.



Teller e Hill têm uma química incrível em cena, como se fossem mesmo melhores amigos. Hill com sua risada desagradável, amadureceu e prova ser um ótimo ator, longe das comédias pastelões por quais é mais conhecido e Teller cada dia mais em ascensão tem tudo para ser o queridinho dos filmes passeando em vários gêneros, ele se mostra bastante versátil. 

O filme tem todos os ingredientes: bom roteiro, boas atuações, boas cenas e diálogos impagáveis. Contando com 115 minutos de duração, Cães de Guerra com sua narrativa eficaz flui num piscar de olhos e nem dá para sentir o tempo passar. Para aqueles que acham ser mais uma comédia esquecível, podem abrir a cabeça e conferir um excelente filme com atuações fantásticas. Altamente recomendo!!! :P

P.S.: O verdadeiro David Packouz faz uma pontinha no filme como músico, sua atual profissão.



Resenha feita por: Amanda Oliveira

Obs.: E se por ventura houver erro de português, não deixa de me avisar, sou humano e vou errar!
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.