sexta-feira, 28 de outubro de 2016

[Resenha] DEMÔNIO DE NEON (The Neon Demon, França/Dinamarca/EUA, 2016)


DEMÔNIO DE NEON (The Neon Demon, França/Dinamarca/EUA, 2016)

Numa ida básica ao cinema, um pôster me chamou atenção, com cores fluorescentes, em tons de lilás e rosa e com os dizeres: do diretor de Drive, pronto, me fisgou e eu fiquei ansiosa para conferir Demônio de Neon que aparentemente tinha aquele apelo “oitentista” de Drive (que é um filme sensacional). Pra quê?? Alguém me explica, pra quê?? Que decepção, minha nossa senhora, que filme ruim, perdi 110 preciosos minutos da minha vida. Ruim é suco de pêssego, Demônio de Neon é horrendo, devagar, arrastado, com diálogos lentos, parecendo que todo mundo usou maconha e estão em câmera lenta. Para completar as cenas finais são completamente “gore” e tão desnecessárias que me vez perguntar o que esse diretor tem na cabeça. Vamos criticar, mas vamos criticar com seriedade, e não com cenas para revirar o estômago... Vamos aprender a usar a ironia, porque CARA*** que filme tosco!! Ahhhhhhhh e olha que eu gosto de tudo, mas Demônio Neon está pau a pau com Skyline!! MUITO PÉSSIMO DE RUIM DE HORRIVEL.



O filme começa com uma sessão de fotos da aspirante a modelo Jesse (a lindinha e angelical Elle Fanning) que tem 16 anos e tem uma beleza natural estonteante. Ao participar de uma seleção, todos ficam impressionados com a beleza de Jesse, o que desperta a inveja das veteranas Gigi e Sarah e um interesse obscuro da maquiadora Ruby. Em paralelo temos uma subtrama (que é simplesmente esquecida ao longo do filme) do violento síndico do residencial que Jesse mora, interpretado por um desperdiçado Keanu Reeve. Temos também o potencial par romântico de Jesse, que também simplesmente some no meio do filme. E Demônio de Neon é isso, a história de Jesse que é perfeita para qualquer estilista e qualquer tipo de traje, gerando muita inveja e despeito no mundo da moda onde a jovialidade é fundamental e imprescindível.



O que era pra ser uma crítica passa a ser um filme chato e extremamente superficial e solto, fazendo de Demônio de Neon algo sofrível de assistir. Sinceramente uma perda de tempo. Muita contemplação desnecessária (melhor ver A Árvore da vida), muito espelho (ok, eu entendo que é um filme de moda e tal mas é muito chato), uma trilha eletrônica completamente desconexa com as cenas e o “gore” final me matou... Pelo amor de Buda, necrofilia não, extremamente bizarro e sem sentido. Demônio Neon que é dirigido pelo mesmo mocinho de Drive, é um filme que eu não recomendo a ninguém, extrema perda de tempo. Nem para dizer que o filme é bonito de ver, porque é escuro e lentoooooooooooooo... Muito ruim. Demônio de Neon estreia dia 29 de setembro nos cinemas, mas se você tem aquele batizado do peixe da sua vizinha, vá, que vale muito mais a pena! Me perdoem os amantes de filmes de arte, mas esse é simplesmente desnecessário!!! Maratona Transformers, por favor, para limpar a mente!!



Resenha feita por: Amanda Oliveira

Obs.: E se por ventura houver erro de português, não deixa de me avisar, sou humano e vou errar!
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.