segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

[Resenha] Coraline - Neil Gaiman - Rocco - 2003

Resenha abaixo não contém spoilers.

Título Original: Coraline
Páginas: 155
Informações do Livro: Skoob - GoodReads
Onde Comprar: Compare e Compre - Saraiva - Amazon - Submarino

Bem ao estilo de Neil Gaiman, esse foi um dos primeiros livros escrito por ele para o público infanto juvenil. Ele já é antigo, onde já tem Graphic Novel, Filme e até outras adaptações desse conto que mistura o surrealismo de uma imaginação de uma criança, com um mundo mágico que pode ter nos pensamentos das pessoas que leem. Vem embarcar nesse mundo comigo entre botões, gudes e amor de família. 
Coraline acaba de se mudar para um apartamento num prédio antigo. Seus vizinhos são velhinhos excêntricos e amáveis que não conseguem dizer seu nome do jeito certo, mas encorajam sua curiosidade e seu instinto de exploração.
Em uma tarde chuvosa, a menina consegue abrir uma porta que sempre estivera trancada na sala de visitas de casa e descobre um caminho para um misterioso apartamento vazio no quarto andar do prédio. 
Para sua surpresa, o apartamento não tem nada de desabitado, e ela fica cara a cara com duas criaturas que afirmam ser seus “outros” pais. Na verdade, aquele parece ser um “outro” mundo mágico atrás da porta. Lá, há brinquedos incríveis e vizinhos que nunca falam seu nome errado. Porém, a menina logo percebe que aquele mundo é tão mortal quanto encantador e que terá de usar toda a sua inteligência para derrotar seus adversários.
Não vou mentir que nunca assisti o filme e nem li as adaptações dessa obra, principalmente a Graphic Novel. Mas sempre tive imensa vontade de ler por conta de uma alma sebosa que me fala super bem dessa obra. E devo confessar que a mesma somente assistiu a adaptação no cinema e sempre anda com a foto dela no Whatsapp. Ai pergunto... quem está na frente? Ninguém.

Já soube que a adaptação no filme é tão bem feita, que diferencia do final do livro em aspecto de percepção, e não de enredo. Explicarei melhor. No final do livro você fica com a percepção que tudo aquilo não passou de um sonho. Já no filme deixa a intender que aquilo pode ter sido verdade mesmo e por isso o que foi mudado foi a perspectiva e não enredo.

Uma hora que li em algumas horas, tanto por ser pequeno como também simples. Ele é extremamente bem elaborado deste o seu início onde vemos que existe uma ausência dos pais na vida cotidiana dela, em um lugar que é longe de tudo.  E no final temos uma pequena reviravolta.

Quem nunca leu nada de Neil Gaiman pode sentir a leitura mais vagarosa em alguns momentos, e essa é o tipo de escrita dele mesmo, onde tende a explicar de forma mais detalhista uma situação ou até mesmo um pensamento. Indico esse livro para todos os públicos, apesar do foco dele ser mais juvenil, porém existe morais no texto que servem para todos.

"Você realmente não entende, não é? -- Disse -- Eu não quero tudo o que eu puder. Ninguém quer. Não realmente. Que graça teria ter tudo o que deseja? Em um piscar de olhos e sem o menos sentido. e daí?"

Obs.: Prefiro não notificar o livro, pois eu não tenho a capacidade de enumerar de 0 a 10 o quão ele pode ser ruim ou não. Prefiro deixar você descobrir. E se por ventura houver erro de português, não deixa de me avisar, sou humano e vou errar! (Essa observação irá em todas as resenhas)

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.