quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

[Resenha] Uma Canção de Ninar - Sarah Dessen - Seguinte - 2016

Resenha abaixo não contém spoilers.

Título Original: This Lullaby
Páginas: 352
Informações do Livro: Skoob - GoodReads
Onde Comprar: Compare e Compre - Saraiva - Amazon - Submarino
Leia Amostra Grátis: Amazon

Acho que quem acompanha minhas resenhas aqui no blog, sabe que só leio romances (em sua maioria água com açúcar) para sair de ressaca. Porém de vez em quando deve-se sair um pouco do escopo e da zona de conforto e ler esse tipo de livro para dar maior leveza a nossa alma e espírito. E foi por alguns motivos que me fizeram ler Uma canção de ninar, que li em 2 dias e fiquei super satisfeito.

Remy não acredita no amor. Sempre que um cara com quem está saindo se aproxima demais, ela se afasta, antes que fique sério ou ela se machuque. Tanta desilusão não é para menos: ela cresceu assistindo os fracassos dos relacionamentos de sua mãe, que já vai para o quinto casamento.
Então como Dexter consegue fazer a garota quebrar esse padrão, se envolvendo pra valer? Ele é tudo que ela odeia: impulsivo, desajeitado e, o pior de tudo, membro de uma banda, como o pai de Remy — que abandonou a família antes do nascimento da filha, deixando para trás apenas uma música de sucesso sobre ela.
Remy queria apenas viver um último namoro de verão antes de partir para a faculdade, mas parece estar começando a entender aquele sentimento irracional de que falam as canções de amor…
Difícil para eu ler um romance comum atualmente por diversos motivos, entre os quais são em sua maioria previsíveis, são 'doces' demais, podem ser água com açúcar até enjoar. Porém sei que sempre tem alguns que fogem a exceção e por conta disso eu deixo para ler o mínimo possível desse tipo de literatura para quando pegar um, saborear ele da melhor forma possível.

Sarah Dessen entra nessa onda. Já queria ler ela já algum tempo, por qual motivo? Não faço ideia. Mas sempre vi muitia propaganda dela, algumas pessoas falando bem e outras mais ou menos, porém ela sempre ficava do médio para o alto. Fora que a editora Seguinte martela bastante sobre Dessen no Snap deles. Isso ajuda na vontade de ler. Porém sempre não ficando como prioridade e deixando mais para frente quado bater uma vontade louca de ler e ir com tudo.

"Inexplicavelmente, ou talvez não. Dexter surgiu de repente na minha cabeça, me observando através de uma câmera descartável deformada. Clique"

Porém uma canção de ninar virou prioridade quando aparece um clube do livro para 4 dias depois. O louco faz o que? Vamos ler... pelo menos metade. Ledo engano e mal sabia o que passaria nessas mais de 300 páginas de idas e vindas do amor. (ops... oia a referência ai). De uma pessoa que não consegue acreditar num amor, após a mãe se casar 5 vezes. Porém vem o 'destino' chamado de Sarah Dessen e coloca uma pessoa que é 100% diferente daquilo que você é ou almeja.

Um fósforo mais um gás, torna uma explosão de livro que você saboreia do início ao fim de forma fácil e descomplicada. Fiquei louco para conhecer e apertar Caco (apelido de macaco) junto a dar uns belos tapas na cara das amigas de Remy para não repetir sempre a mesma fórmula de meninas superpoderosas, mas o livro é assim e deixa mais com cara de juvenil levando aquela paixonite super fácil pelos personagens.

"Sempre que se fazia uma escolha, principalmente á qual se estava resistindo, havia desdobramentos. Alguns consideráveis como um tremor sob os pés; outros tão pequenos que mal se notava. Mas acontecem."

Apesar da história ser diferente, existe uma base super parecida com o livro A Ultima música de Nicholas Sparks. Aliás, se for aprofundar mais ainda podemos ver que a base desse livro é bem parecida e você pode ver uma mescla de vários livros nele. Mas não podemos discordar muito pois os romances sempre tem aqueles mesmos plots e situações parecidas, o que muda é o contexto e quem são os personagens e suas personalidades.

Não posso deixar de acrescentar que sim, algumas páginas se tornam bem devagar por ter excesso de pensamentos da Remy por conta de não acreditar no amor e torna-se repetitivo as vezes. Se tivesse cortado pelo menos umas 25 a 50 páginas desses pensamentos com certeza o livro continua ótimo, até melhor, e com mais agilidade. (Imagine só... eu ia ler em  dia kkk)

"Você tem que dançar conforme a música. Sua vida não pertence, com pessoas entrando e saindo dela o tempo todo. Ser sociável é uma necessidade. Mas Aposto que você sabe exatamente do que estou falando."

Obs.: Prefiro não notificar o livro, pois eu não tenho a capacidade de enumerar de 0 a 10 o quão ele pode ser ruim ou não. Prefiro deixar você descobrir. E se por ventura houver erro de português, não deixa de me avisar, sou humano e vou errar! (Essa observação irá em todas as resenhas)

Leia Amostra Grátis: 
Share:

Um comentário:

  1. *Estou pensando em comprar e ler ! Obrigada pela resenha ! Um abraço Higor Costa. Obs. : cheguei aqui através do Skoob !

    ResponderExcluir

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.