terça-feira, 26 de setembro de 2017

Crítica | Kingsman: O Círculo Dourado - Kingsman The Golden Circle - Reino Unido - 2017


Kingsman The Golden Circle
Direção: Matthew Vaughn
Roteiro: Matthew Vaughn
Elenco: Taron Egerton, Colin Firth, Mark Strog, Pedro Pascal ...
Sinopse
Um súbito e grandioso ataque de mísseis praticamente elimina o Kingsman, que conta apenas com Eggsy (Taron Egerton) e Merlin (Mark Strong) como remanescentes. Em busca de ajuda, eles partem para os Estados Unidos à procura da Statesman, uma organização secreta de espionagem onde trabalham os agentes Tequila (Channing Tatum), Whiskey (Pedro Pascal), Champagne (Jeff Bridges) e Ginger (Halle Berry). Juntos, eles precisam unir forças contra a grande responsável pelo ataque: Poppy (Julianne Moore), a maior traficante de drogas da atualidade, que elabora um plano para sair do anonimato.





Sem sombras de duvidas, Kingsman revoluciona todas as receitas de filmes de espionagens que existem por ai.

Em sua sequencia; The Golden Circle, não poderia ser diferente, a franquia segue de onde se encerrou seu primeiro filme; com a evolução do personagem principal Eggsy, que hoje é um perfeito cavalheiro Kingsman. Que outrora seus problemas familiares era um grande peso na sua vida, nesse filme vemos o dilema do seu relacionamento com a princesa Tilde. 

A trama desse filme se desenrola logo nos primeiros cinco minutos de filme e não enrola o espectador em nenhum momento. O filme é uma sequencia de cenas muito bem amarradas, apesar de ter  um elenco fantástico, alguns foram mal aproveitados, como o próprio Channing Tatum, Halle Berry e até mesmo Jeff Bridges. O filme é todo movimentado por Eggsy, Merlin e Harry e não podemos esquecer do agente Whiskey que deu um verdadeiro ar diferencial nessa franquia.

É logico que a sequencia não supera a genialidade que foi o primeiro filme; Kingsman Serviço Secreto, mas chega bem perto disso. A construção do roteiro, creio que foi melhor construído do que o primeiro filme. As cenas de ação muito bem coreografadas e com ótimos momentos de efeitos especiais. 

A única coisa que não funcionou legal foi a vilã Poppy, que tenta a todo custo dominar o mundo (da forma mais clichê) e tentando ser  temida, a personagem extremamente egocêntrica não me convenceu, creio que tenha faltada um verdadeiro tempero no desenvolvimento da personagem. 



No mais, Kingsman é um filme divertido e que sem sombra de duvidas irá virar um franquia a nível de Missão Impossível.

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Sobre Nós

Sobre Higor e Juliana: Casal geek, cinéfilos, leitores compulsivos. Amantes de um bom seriado e perdidamente apaixonados pelo mundo da literatura.